ELEIÇÕES 2014 – Folha de São Paulo traz a noticias do rompimento entre o PSDB e PSB na Paraíba

Publicado em Categorias Últimas

0000

O PSDB de Aécio Neves decidiu desembarcar do governo da Paraíba, chefiado por Ricardo Coutinho, do PSB de Eduardo Campos. Com essa decisão, o tucanato paraibano sinaliza a intenção de lançar um candidato próprio ao governo do Estado, o senador Cássio Cunha Lima. Vice-presidente do PSDB federal, Cássio cogita medir forças com Coutinho, que disputará a reeleição.

Em reunião marcada para esta segunda-feira (24), a Executiva estadual do PSDB paraibano irá formalizar a devolução do cargo que ocupa no primeiro escalão da administração do PSB. Pedirá demissão o secretário de Planejamento e Gestão, Gustavo Maurício Filgueiras Nogueira. Deixarão o governo também meia dúzia de ocupantes de cargos de segundo escalão, que, embora não sejam filiados ao PSDB, foram indicados por Cássio.

Nesta sexta-feira (21), o tucano Cássio participou do encontro que Aécio manteve com Eduardo Campos em Recife. Ouviu do presidenciável do PSB apelos para que desistisse de devolver os cargos ao governador Ricardo Coutinho. Campos argumentou que o movimento destoava do esforço que PSDB e PSB realizam para formar palanques conjuntos nos Estados.

Em resposta, Cássio informou a Campos que o PSDB já havia decidido realizar uma série de consultas sobre a conveniência de disputar o governo paraibano. E não faria sentido permanecer na administração de Coutinho. De resto, argumentou que sua candidatura é, por ora, apenas uma tendência. Por delicadeza, comprometeu-se a levar em conta as ponderações de Campos na hora em que o martelo for batido.

Do ponto de vista de Aécio, a candidatura do correligionário é conveniente. Desconhecido no Nordeste, o presidenciável tucano passaria a dispor na Paraíba de um palanque comandado por um candidato bem posto nas pesquisas. Sondagens feitas para consumo interno indicam que Cássio, ex-governador da Paraíba, entra na disputa com algo como o dobro do percentual de votos atribuído a Coutinho.

FONTE – JOSIAS DE SOUZA – FOLHA DE SÃO PAULO

0Shares