PARTE 1 – Emoção e música para Dominguinhos no SESI Troféu Gonzagão 2014

Publicado em Categorias Últimas

FOTO 1 - RILAVIA A AJALMAR MAIA FOTO 2 - BUEGA E ELVIRA GADELHA FOTO 3 - ELBA RAMALHO, GLORINHA GADELHA E ALCIONE FOTO 4 - PAMELA BORIO, ELVIRA, LETICIA E PAULA GADELHA FOTO 5 - BILIU DE CAMPINA FOTO 6 - LINCONL E SANTANA FOTO 7 - LUCY ALVES E GABRIEL CAMINHA FOTO 8 - AMAZAN FOTO 9 - EDSON E ESPOSA FOTO 10 - NANDO CORDEL E PRETA 0000000 00000 0000 000 00 0a 1 2 3 5 8 9 10 12 13 14 15 16 17 17a 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 30 31 33 34 34a 35 35a 36 36a 36b 37 37a 39 39a 39b 41 42 43

 

A festa da VI Edição do SESI Troféu Gonzagão foi um sucesso e aconteceu no Centro de Convenções da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba. O evento é uma promoção da FIEP, do Projeto SESI Cultura e Tradição da Paraíba e do Centro de Ortodontia Integrado! A noite foi moldurada pela presença de mais de 100 artistas e teve fartura com o buffet Pirauá regado a vinhos e uísques importados para 2500 convidados. A decoração no estilo regional foi assinada pelo decorador Samuel Diniz.

Na solenidade que começou por volta das 21 horas, discursos emocionados da idealizadora do Troféu, Rilávia Cardoso, e do presidente da FIEP, Buega Gadelha, que abraçou o projeto e não mediu esforços através do SESI – para transformá-lo num dos maiores eventos culturais do Brasil – realizado em Campina Grande, terra do Maior São João do Mundo.

A programação musical começou a estreia do Coral do SESI com mais de 40 vozes que abriram o evento e foram aplaudidos de pé pela plateia. Em seguida os cantores se revezaram cantando os maiores sucessos do saudoso Dominguinhos – o grande homenageado da noite. O destaque da noite ficou para o dueto das cantoras Elba Ramalho e Alcione que arrasaram e foram ovacionadas pelo publico. Não posso esquecer-me de falar do Quinteto Violado da UFCG que fez a recepção dos convidados com música regional e instrumental da melhor qualidade.

Entre tantas estrelas: Nando Cordel, Santana, Lucy Alves, Amazan, Edson da dupla Edson e Hudson, Biliu de Campina, Pinto do Acordeom, Gabriel Caminha, Alcimar Monteiro, Antônio barros e Cecéu, Os 3 do Nordeste, Anastácia, Assisão, Tony Dumond, Inaldete Amorim, Poeta Francinaldo, Ranyere Gomes e muitos outros, acabei sentindo a falta de Flávio José, Ton Oliveira, Genival Lacerda e Capilé – grandes nomes da nossa música que não poderiam ficar de fora da festa do forró.

O evento foi selado com a exibição de um documentário sobre a vida de Dominguinhos que mostra a relação do artista com seu padrinho Luiz Gonzaga e com a sanfona e a importância dele para a música popular brasileira.

“Você urbanizou o forró. Daqui pra frente, tem que ser tudo mais mió!”, “disse” Luiz Gonzaga a Dominguinhos em “Quando Chega o Verão”, canção de 1980. Dominguinhos foi herdeiro musical de Luiz Gonzaga. E foi o rei do baião Luiz Gonzaga quem deu o nome artístico a ele, nascido como José Domingos de Morais.

Dominguinhos morreu aos 72 anos, após uma longa batalha contra o câncer. E deixou muitas saudades. Esteja, onde estiver – sempre nos lembraremos dele como o maior cantor de forró do Brasil. Aqui também a minha homenagem e muitas saudades a um dos artistas mais simples e talentosos que eu conheci na minha vida de colunista!

0Shares