Ruínas do prédio do Cine Capitólio de Campina Grande vai ser transformado em um Centro Cultural

Publicado em Categorias Últimas

1 2 3 5 10

O prédio desativado do antigo Cine Capitólio deve ser transformado em Centro Cultural de Campina Grande, após projeto apresentado na última quinta-feira, dia 16 de abril de 2015, em reunião entre a Prefeitura Municipal e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep). A proposta segue agora para apreciação do Iphaep.

O futuro espaço multicultural vai contar com uma cinemateca, responsável pela preservação da produção audiovisual campinense em torno da difusão e restauração de seu acervo; um espaço para apresentações artísticas de dança, teatro e música, áreas destinadas ao usufruto da sociedade, como um café e salas voltadas aos Conselhos de Cultura, artístico e patrimonial de Campina Grande; entre outros ambientes.

A reunião aconteceu na sede da Secretaria de Cultura reuniu membros do Conselho Municipal e Patrimonial Cultural, Instituto Histórico de Campina Grande, Conselho de Cultura, Secretaria de Obras e Iphaep.

A definição do destino do prédio aconteceu após a análise de três propostas. “A primeira proposta é a criação de um Capitólio voltado para as artes. Já o segundo prevê atividades multiculturais, além de pedagógicas e de artes visuais. Enquanto que a terceira, que é a que já existe um projeto apreciado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep), é a reunião geral dessas ideias, mas que abre a possibilidade de exploração da iniciativa privada”, explicou a diretora do conselho de patrimônio histórico de Campina Grande, Giovana Aquino.

Segundo a diretora Executiva do Iphaep, Cassandra Figueiredo, a proposta agora aguarda análise e aprovação do Iphaep. “Saio daqui muito contente e feliz, pois nossa preocupação é justamente com o tamanho do patrimônio, de um valor histórico fantástico que está destruído. Então, entramos em um consenso para revitalizá-lo, transformando-o em um Centro Cultural, acolhendo os mais diversos gritos da cultura local”, destacou.

0Shares