Stan Lee, criador de Homem Aranha, Thor, X-Men, Homem de Ferro e O Incrível Hulk., morre aos 95 anos em Hollywood – nos EUA

Publicado em Categorias Destaques, Últimas

Stan Lee faleceu nesta segunda-feira com 95 anos, noticiou o site TMZ. Lee, co-criador das bandas desenhadas que tinham como protagonistaas os super-heróis da Marvel, foi socorrido em sua casa, em Hollywood Hills e transportado para um hospital, mas não conseguiu resisir. As causas da morte não foram divulgadas.

Nos tempos mais recentes, Stan Lee sofreu alguns problemas de saúde, entre os quais uma pneumonia além de dificuldades ligadas à visão. Lee lançou a Marvel com Jack Kirby, em 1961, e foi responsável pelo aparecimento de super-heróis como o Homem Aranha, Thor, X-Men, Homem de Ferro ou o O Incrível Hulk.

Uma das particularidades de Stan Lee era a de fazer curtas aparições nos filmes produzidos pela Marvel, quase todos sucesso de bilheteiras. Há sites como o “Aficionados”, que enumeram estes ‘cameos’.

Em “X-Men” (em exibição em 2000), era um vendedor de cachorros-quentes. Dois anos depois, em “Homem-Aranha”, foge dos destroços que caem do prédio. Em “Hulk” (2003), é um segurança que conversa com um colega, interpretado por Lou Ferrigno, que foi um dos primeiros Hulk numa série com o mesmo nome. Faz ainda de carteiro no “Quarteto Fantástico” (2005), de si próprio, na sequela com o Surfista Prateado, e em 2008 em “Homem de Ferro” é confundido com Hugh Hefner, fundador da revista “Playboy” e em “Homem de Ferro II” volta a ser condundido desta vez com Larry King, famoso apresentador de talk shows norte-americano. A lista é extensa.

O seu nome verdadeiro era Stanley Martin Lieber. Nasceu em Nova Iorque a 28 de dezembro de 1922. Nos anos 60, liderava o projeto da Marvel para fazer frente aos super-heróis criados pela DC Comics, a editora rival de comics norte-americana. Os seus heróis de colants eram, de acordo com a crítica do género, mais humanizados do que os da DC, o que atraiu milhões de jovens que se reviam nestes personagens emocionalmente mais frágeis, apesar dos super poderes.

Chegou mesmo a trabalhar para a DC Comics em 2000 com a série “Just Imagine…”, reiventando heróis como Super-Homem, Batman, Flash ou Lanterna Verde.

0Shares