INTERNACIONAL – Barítono campinense vai integrar coral de universidade em Nova York

Publicado em Categorias Últimas

marcel lirico

Ano passado, Biliu de Campina teve o prazer de cantar no Lincoln Center, em Nova York, nos Estados Unidos. Fez as malas. Fez história. Levou o talento forrozeiro da Paraíba para os States e fez Tio Sam tocar o tamborim. Este ano, outro paraibano de Campina Grande teve a honra de ser convidado para cantar no Lincoln Center. Mesmo palco. Mesmo talento. Mas, a praia de Marcel Ramalho não é a praia de Biliu. É bem outra! Marcel até gosta de forró, mas dedica-se ao canto lírico.

Ele é barítono. Canta no Concert Choir da Universidade Estadual de Indiana, onde é aluno do mestrado. A apresentação será em abril do ano que vem. Sem grana para custear a viagem, Marcel Ramalho iniciou uma campanha na internet para arrecadar em torno de R$ 2,6 mil (http://www.gofundme.com/4kqed0). Ele mora em Terre Haute e precisa viajar perto de 1.300 km até Nova York. Mais ou menos como uma viagem de João Pessoa para Teresina, no Piauí.

“A universidade vai cobrir parte dos custos da viagem, mas os cantores também têm que fazer sua parte”, postou Marcel Ramalho na página na Internet. Ele diz que também pode ser acessado no Facebook. “O coral foi convidado para cantar em um evento no Alice Tully Hall, uma das salas de concerto que fazem parte do complexo Lincoln Center. Então, eu como coralista, espero poder cantar nesse concerto também. Além do Concert Choir, mais outros dois corais cantarão no concerto. Então, vai ser algo realmente grandioso”, disse Marcel em entrevista ao CORREIO.

O cantor lírico começou a estudar música em 2006, com o professor Lemuel Guerra, da UFCG. No ano seguinte, já estava no curso de Licenciatura em Música (com Habilitação em Canto) na UFPB. Graduou-se ano passado. “Durante a graduação, fiz algumas viagens e entrei em contato com alguns professores. Numa dessas viagens, comecei a organizar minha vinda para os EUA”. Ele lamenta que a música erudita tenha pouco espaço no Nordeste do Brasil. Ele pretende concluir o mestrado e iniciar um doutorado ainda nos EUA, além de adquirir o máximo de experiência como cantor lírico e professor de canto. “Só ao voltarei para o Brasil, que é onde quero trabalhar cantando, dando aulas, organizando workshops na área de canto, óperas, concertos, recitais etc”.

FONTE – PORTAL CORREIO

0Shares