MADE IN PARAÍBA – Artesã paraibana foi uma das 15 brasileiras selecionadas para mostra internacional em New York

Publicado em Categorias Últimas

renda

Artesã paraibana, que preside associação com quase 50 rendeiras, foi uma das 15 brasileiras selecionadas para mostra internacional

A artesã paraibana, Maria das Dores Ramos Silva, foi uma das 15 brasileiras selecionadas para expor seu trabalho na exposição Mulher Artesã Brasileira, que será realizada na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, Estados Unidos, em setembro. Maria das Dores faz parte da Associação de Desenvolvimento Comunitário das Artesãs de Ateliê Renascença de São Sebastião do Umbuzeiro, no Cariri paraibano, a 110 km de João Pessoa.

A artesã trabalha com renda renascença há 40 anos e criou a associação há cerca de oito anos, mas somente há dois, formalizou o negócio e tem CNPJ. “A associação reúne quase 50 mulheres do Cariri, que vivem do seu artesanato e melhoraram a renda familiar”, disse Maria das Dores, que aos sete anos já produzia peças em renda para vender e ajudar no orçamento da sua família.

Ela explicou que a renda renascença é um trabalho minucioso e demorado. “Como trabalhamos em associação, dividimos o trabalho. Uma peça pode ser feita por várias rendeiras. Isso contribui para terminarmos mais rápido e recebermos logo o dinheiro”, contou. Ela disse, por exemplo, que um vestido de noiva demora cerca de oito meses para ser confeccionado por apenas uma artesã. Para o tempo de produção ser diminuído, atualmente, quatro artesãs estão trabalhando em uma mesma peça.

A Associação de Ateliê Renascença recebe encomendas de clientes, principalmente, de João Pessoa e Campina Grande, mas vende também para Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Segundo Maria das Dores, a associação produz normalmente cerca de 30 peças por mês. Se houver feiras e eventos, chega a vender R$ 15 mil mensalmente. “Mas quando não há esses eventos, nossa renda não chega nem perto desse valor”, afirmou.

Após ser formalizada, a associação já recebeu cursos de aperfeiçoamento, oferecidos pelo Sebrae Paraíba. Também recebe apoio do Governo do Estado, através do Programa de Artesanato Paraibano (PAP). “É um orgulho para a Paraíba termos as peças de renda renascença de São Sebastião do Umbuzeiro nessa exposição em Nova York”, disse a gestora do projeto de Artesanato do Sebrae Paraíba, Maísa Duarte.

Projeto Mulher Artesã

O projeto Mulher Artesã Brasileira tem como objetivo divulgar a cultura e a economia brasileira por meio de artesãs que fizeram desse tipo de atividade não somente uma forma de subsistência, mas também uma motivação constante de transformação da realidade social. Além de apresentar o momento atual do artesanato no país, a exposição propicia às contempladas a oportunidade de aprimoramento profissional por meio de ações formadoras, como uma exposição de fotografia e de objetos, participação em uma palestra, divulgação na mídia, dentre outras.

As artesãs foram selecionadas por uma comissão de profissionais da Associação Brasileira de Exportação de Artesanato (Abexa), Programa do Artesanato Brasileiro do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Além da paraibana foram selecionadas mais 14 mulheres de 12 estados: Acre, Alagoas, Ceará, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

0Shares